A mágica das "soft skills"

peolple_guy_working_maroquotidien-1024x683-1.jpg

Por: Polifonia

Muito se fala hoje sobre o que são as soft skills. Do Conselho Nacional de Pesquisa dos EUA (NRC) à UNESCO, passando pelo Fórum Econômico Mundial, está à solta a ideia de que estas são as habilidades mais importantes para se ter no trabalho do século XXI. Será mesmo?
São sim! Mas pera aí…. O que elas são, afinal?

Sem firulas: as soft skills são as inteligências emocionais. E isso é basicamente tudo que está relacionado à nossa capacidade de pensar; ser sensível a dificuldades e desafios pela frente; coordenar trabalhos em equipe; ouvir; se relacionar com o próximo.

E ainda tem gente que acha que elas são menos importantes que habilidades técnicas no ambiente de trabalho.

Vamos lá, estamos em pleno 2017 e não faz mais sentido continuarmos usando aqueles 10% de nossa cabeça animal para apertar parafusos e operar máquinas. O mundo pede por gente que faça, mas que faça pensando e sentindo.

E isso não é balela: de acordo com uma pesquisa realizada com 2100 executivos americanos pela Accountemps, 3 em cada 4 CFOs acreditam que funcionários não conseguem progredir em seu trabalho por incapacidade em trabalhar esse tipo de inteligência.

Já deu para ter uma dimensão da diferença que isso faz nos dias de hoje, né? Pensando nisso, selecionamos aqui algumas das mais importantes para você ir trabalhando no seu dia-a-dia.

É consenso por aí que comunicação é a habilidade mais importante das soft skills. E “comunicar”, no caso, não se resume ao uso de palavras rebuscadas. Tem muito mais a ver com saber transmitir ideias entre a equipe, saber o tom certo para falar com o seu público, compreender instruções, delegar tarefas…

… não à toa, ela anda de mãos dadas com a liderança. E não no sentido de mandar nos outros, mas de saber conduzir quem está próximo a grandes resultados.

Exatamente por isso, trabalho em equipe é outra habilidade que está nesse balaio. Saber coordenar suas habilidades com as de outras pessoas é vital para o sucesso.

Assim como é importante coordenar o próprio tempo e responsabilidades para dar conta das tarefas do dia-a-dia. Se isso puder ser resolvido de maneira criativa, melhor ainda. O mundo preza por pessoas que tragam soluções originais… Não existe uma fórmula para tudo, não é mesmo?

Em resumo, o importante é prestar atenção a todas as suas características emocionais e pensar em como utilizá-las com responsabilidade para resolver problemas.

Isso não é nada óbvio, e é um grande desafio para ser resolvido. Não é por menos. Os mesmos 2.100 executivos da pesquisa da Accontemps acham que as empresas cometem um grande erro em não oferecer treinamento nesse tipo de habilidades para seus funcionários.

Infelizmente, muita gente continua achando que encontrar a solução para seus problemas em técnica, e não no potencial do indivíduo, vai continuar resolvendo a vida. Não. As pessoas precisam de tempo para se autoconhecer, para entender suas forças, reforçar seus pontos fracos, melhorar suas habilidades e desenvolver seu próprio protagonismo.

Aqui na Polifonia, no nosso Programa de Protagonismo, trabalhamos essas soft skills com as pessoas porque acreditamos no potencial transformador delas. É esse olhar para um futuro desmistificado, menos mecânico e mais orgânico, que achamos que irá mudar o mundo.

E, para mudar o mundo, precisamos nos mudar primeiro. E aí? Se sente pronto?

Pharus Designvida, softskill