Polifonia chega ao mercado como escola pioneira na formação de líderes criativos no Brasil

Por Dino

Diferenciais consistem em metodologia inovadora e embasada no engajamento coletivo para solução de problemas reais, além de parceria de sucesso com a THNK

Com propósito de formar protagonistas criativos, a partir da transformação do segmento da educação convencional no País, nasce a Polifonia. Tal transformação está pautada no desenvolvimento de líderes por intermédio de qualidades – criatividade, resiliência, empatia, autonomia, audácia, presença e criação de significado/propósito – e habilidades – trabalho em equipe, comunicação, liderança, gestão de projetos e recursos –, todas características fundamentais para se fazer a diferença no mundo de hoje. Afinal, convive-se em um ecossistema que carece de protagonistas criativos em áreas distintas da sociedade. Além de cursos próprios, a Polifonia tem uma parceria exclusiva com a THNK, Escola de Liderança Criativa de Amsterdã.
“Costuma-se dizer que quando há um grave problema na educação, política, saúde ou economia, trata-se, na realidade, de um problema de lideranças. Queremos então contribuir para formação de jovens líderes, que catalisem soluções para desafios complexos contemporâneos, sempre com os olhos voltados ao amanhã e conscientes do impacto de suas ações no mundo, de modo a construir legados substanciais. Isso só é possível com o compartilhamento de disciplinas não convencionais, ou seja, que tragam inovação na essência, a exemplo de design thinking, pitching e storytelling”, destaca Daniel Gurgel, sócio e CEO da Polifonia.
Tais metodologias se fazem presentes na Polifonia, a partir de referências internacionais das melhores escolas de liderança,design e empreendedorismo, tais como Team Academy, Stanford d.School, Knowmads, Kaos Pilot e Hyper Island. Em todas elas, os alunos têm, assim como na Polifonia, a oportunidade de resolver casos práticos e em linha com a realidade por intermédio de ambientes integrados, atividades co-criativas e fomento de parcerias.
O público-alvo da Polifonia consiste em jovens de 25 a 35 anos, que almejam quebrar e superar paradigmas. Para tanto, a escola oferece o Curso de Protagonismo Criativo, com cinco meses de duração e dois encontros presenciais noturnos por semana. Nesse período, são explorados três eixos de trabalho gradativos – desenvolvimento do potencial de protagonismo, orquestração de times criativos e design de empreendimento. Por se tratar de uma escola híbrida, ao congregar empreendedorismo, liderança e design, as turmas são compostas por um público heterogêneo. Empreendedores, mobilizadores sociais, executivos, representantes do poder público, profissionais autônomos, líderes comunitários, entre outros, podem participar.
O primeiro eixo de trabalho, de desenvolvimento do potencial de protagonismo, explora competências, paixão e propósito de cada integrante do grupo, estimula a tomada de consciência mais profunda de cada um e em relação aos demais na turma e inicia o coaching individual, além do peer-coaching, processo de coaching de pares para familiarizar os alunos com o mindset decoaching. Na segunda fase, o eixo de orquestração de times criativos, o foco já passa ao outro, a partir do compartilhamento mais profundo de vivências, diálogos e projetos sob a ótica conjunta, com estímulo de reflexão coletiva e feedback de pares. No terceiro e último eixo, design de empreendimento, são dedicados esforços para constituição de um projeto pessoal, cuja relevância esteja ligada aos desejos e propósitos de cada participante, por meio da resolução de problemas reais à luz de uma visão integrada do ambiente e das tendências globais, considerando também o impacto de transformação do ecossistema com o qual a Polifonia quer contribuir.
Na frente da parceria exclusiva com a THNK no Brasil, a Polifonia realizou a primeira experiência em 2015. “Com o Global Creative Leadership Program, workshop de três dias voltado ao desenvolvimento de executivos de alta performance, empreendedores e intraempreendedores, tivemos um retorno muito positivo dos participantes. Isso nos motivou a criar nossa própria metodologia para profissionais mais jovens e com menos repertório para seguir com essa aliança produtiva, que já se mostrou eficaz frente à demanda latente de mercado que se faz presente”, complementa Gurgel.
Fundada a partir de iniciativa conjunta entre parceiros de peso de setor criativo e de negócios, como McKinsey & Company, Droog Design, Vodafone, Escola de Design de Stanford d. School e Phillips Design, em cooperação com a Dutch Innovation Plataform, a THNK é considerada pela Universidade de Stanford como o futuro da educação superior. Com cursos fixos em Amsterdã (HOL), Lisboa (POR) e Vancouver (CAN), e programas de diversos formatos em Moscou (RUS), Stanford (EUA), Xangai (CHN) e Taipei (CHN) tem como missão acelerar o desenvolvimento de líderes criativos que farão as mudanças de impacto no nosso século. A metodologia é pautada na criatividade, na inovação do modelo de negócios e no empreendedorismo de impacto.

Texto originalmente publicado na revista Exame

Pharus Design